Resultado de exames: Entrar

Moderna Cirurgia Refrativa

03/03/15

As cirurgias refrativas com Excimer Laser são realizadas no mundo há cerca de 30 anos, tendo ocorrido desde então, diversos avanços na tecnologia dos equipamentos e nas técnicas cirúrgicas de escolha para cada caso, sempre visando uma maior precisão dos resultados, e a redução dos possíveis riscos.

Breve histórico
As técnicas cirúrgicas para tratamento de diversos graus de miopias e astigmatismos tiveram início por volta do final dos anos 70, através do médico russo Dr. Fyodorov. Naquele momento, a técnica consistia em cortes radiais na superfície da córnea, feitos com bisturi de diamante, e se utilizava para o tratamento de miopias e astigmatismos. Era a ceratotomia radial. Ela foi utilizada correntemente, mundo afora, até o início dos anos 80, quando foi aprovado o uso do Excimer Laser, pela maior previsibilidade dos resultados e por permitir também o tratamento das hipermetropias.

Curiosidade- como funciona o Excimer Laser
O excimer laser é um raio de luz ultravioleta, incrivelmente preciso. Ele tem a habilidade de focalizar um raio de 0,25 mícrons. Considerando que um fio de cabelo humano tem 50 mícrons de diâmetro, isso significa que o excimer laser é capaz de remover 0,5% da largura de um fio de cabelo por vez. Na prática, o Laser faz um “micropolimento” da superfície corneana, processo conhecido como fotoablação, o qual é responsável pelo tratamento dos diversos graus.

Técnica de Superfície, ou PRK
Técnica mais superficial, melhor indicada para pacientes que tem miopias mais baixas, e/ou córneas mais finas.

Como Funciona
Consiste na remoção da camada externa, superficial da córnea, denominada epitélio, e aplicação do Excimer laser na região delimitada, que corresponde à área central para o tratamento das miopias e astigmatismos e à média periferia, para tratamentos de hipermetropias. É realizada com o uso de gotas de colírio anestésico, sendo bastante confortável. Dura em torno de cinco minutos por olho, e ao final, colocamos uma lente de contato terapêutica, que permanecerá no olho do paciente operado por cerca de 5 a 10 dias, de acordo com a velocidade de cicatrização individual.

É fundamental que o paciente não se exponha ao sol durante os primeiros sessenta a noventa dias de pós-operatório, para evitar o surgimento de opacidades corneanas e regressão de parte do efeito refracional alcançado. Durante o pós-operatório, serão prescritos colírios à base de antibiótico e corticoide para prevenção de problemas oculares. Nos primeiros dias, são prescritas gotas anti-inflamatórias e analgésicas, para controle da dor, bem como, analgésico por via oral.

Imagens do PRK

1_Remocao_Epitelio  2_Aplicacao_laser

3_Apos_Aplicacao_Laser  4_Colocacao_Lente

 

Técnica do Lasik
Consiste na confecção de flap, ou membrana na córnea e após levantamento desse flap, o Excimer laser será aplicado na camada mais interna da córnea, de acordo com o grau de cada paciente.
Como funciona o Lasik
Modernamente consiste em duas etapas, sendo a primeira, realização de flap, ou membrana, com o uso do laser de femtosegundo. Este laser é o que há de mais moderno, pois realiza o flap sem corte das fibras, e sim, através da separação das mesmas. A segunda etapa consistirá na aplicação do Excimer Laser, e será na dose necessária para tratar cada caso. As duas etapas serão realizadas em aproximadamente cinco minutos por olho, com gotas anestésicas, e de forma bastante confortável e segura.
Assim como a técnica de superfície, é indolor, e apresenta a vantagem de uma recuperação visual mais rápida. Na maioria dos pacientes, a melhora de visão após 24hs é de aproximadamente 90%, chegando mesmo a 100% da visão, já no dia seguinte à cirurgia. Além disso, não costuma causar desconforto no pós-operatório, e teremos menos restrições do que na fotoablação de superfície (PRK). Também serão prescritos colírios preventivos, à base de antibiótico e corticoide, por um período de aproximadamente 8 a 10 dias. Além disso, o lubrificante tópico, ou gotas lubrificantes, deverá ser mantido por aproximadamente 60 dias.

Em que casos estará contra-indicada:
A avaliação pré-operatória é fundamental para identificar se você é realmente um bom candidato à técnica. Pessoas com uma espessura de córnea muito baixa, ou com curvaturas muito elevadas, em geral, não são bons candidatos à cirurgia, pois os resultados não são tão previsíveis, podendo ocorrer inclusive enfraquecimento da córnea e deformação da mesma, o que pode requerer tratamento para essa nova condição. Daí a importância da realização dos exames como Topografia corneana, Aberrometria, Mapeamento da retina, e às vezes a tomografia Pentacan. Todos esses exames irão aumentar a segurança da realização da cirurgia em cada caso.

Pacientes mais jovens, entre 18 e 24 anos, requerem uma avaliação muito detalhada, porque a córnea ainda pode estar em processo de modificação de sua forma e espessura, até atingir a córnea adulta.

Imagens do Lasik:

Confecao_Flap_Com_Laser_Femrosegundo

Laser_de_Femtosegundo

3_apos_aplicacao_laser   4_Final_cirurgia

 

Curiosidades- conheça os maiores avanços da década:
A técnica refrativa mais popular- o Lasik- apesar de ser utilizada há aproximadamente 31 anos no Brasil, somente há cerca de três anos passou a contar com o Laser de Femtosegundo.

“Atualmente, podemos dizer que é uma cirurgia 100% a laser, comenta a Dra. Mônica Freitas, chefe do serviço de Cirurgia Refrativa do IOF. Até cerca de três anos, a etapa inicial, ou confecção do flap, era realizada através do uso do bisturi motorizado, conhecido com microcerátomo. Esse foi um dos maiores ganhos da cirurgia refrativa, pelo aumento da precisão, segurança e rapidez dos resultados”.

MAIS Doenças Oculares


TWITTER
@OLHOSFREITAS

Unidade Mundo Plaza Av. Tancredo Neves, 620 - Mundo Plaza - 32º andar - Caminho das Árvores - Salvador

71 3330-6100

Marque sua consulta